music


segunda-feira, 23 de junho de 2014

A única questão verdadeiramente filosófica

Estou tão confusa e tão certa.

Morte é inevitável.
Suicídio não é mais questão e sim resposta.
Parece insolente, bobo, imaturo e estupido pensar que nada alem da morte é a correção dos meus problemas entretanto não sou forte o suficiente pra vida.Pronto eu admito !(sou inteligente o suficiente pra isso).

Nada parece ser melhor do que a ideia de nunca mais acordar.
Odeio todo o meu ser. Cada partícula de minha existência é patética, nojenta e sem valor.
E pra falar a verdade estou mais morta que viva. Quando respiro o ar que entra em meus pulmões parece errado meu coração bate, mas não pulsa vida em minhas veias.
E toda dor que acompanha o "levantar e viver" é demais.
E sim a doença que invadiu meu cérebro e tomou conta de mim sim ela esta la me empurrando e dizendo que não ha nada para mim aqui.
Ao me matar matarei meus sonhos e todas as oportunidades, mas em vida nunca iria alcançá-las de qualquer maneira.

Eu não me apaixonarei ou me formarei na faculdade. Não irei ver meus poucos amigos sorrindo, vivendo e sendo feliz. Nunca saberei o que minha irmã será quando crescer. Tudo isso é consequência eu lido com ela.

Todo desespero, dor e vazio é tudo isso do  que fujo. E não me preocupo com o inferno pois nele não creio. Vivi o meu na terra, meu próprio pessoal inferno em minha mente

Uma alma pesada, um corpo fraco. Eu cansada, parto....


Beijos Mandy

Nenhum comentário:

Postar um comentário